Atriz brasileira Cris Lopes apresenta filme sobre a violência contra a mulher

Por Arthur Dafs

A atriz brasileira Cris Lopes apresenta seu novo trabalho, o filme “Miguel”, nos cinemas sul-americanos. O filme retrata a violência contra mulher e todo o sofrimento causado por essa dor que, segundo ela, infelizmente, ainda possui registros dessa prática em todo o mundo.  Dirigido por Natália Grecco, e estrelado pela atriz juntamente com o ator Cauê Camargo – no papel título, “Miguel” conta a história de Clara (vivida por Cris) que sofre com a violência doméstica. Além de toda a produção artística, a obra também propõe um debate em defesa da mulher no Brasil e na Argentina. O filme já foi exibido na Mostra dos Direitos Humanos no Festival de Cinema de Caruaru (PE) e em São Paulo no Cinefest Votorantim.

Em setembro, o filme terá sessão especial no Curta Canedo 2018, em Goiás, no dia 22, com debate após a exibição do filme, com mulheres, movimentos femininos, jovens e a comunidade, assim como convidados de outros estados, sobre o tema: “O cinema pelo fim da violência a mulher”. Em outubro será exibido na Argentina, no Festival de Cine Inusual de Buenos Aires 2018, com legendas em espanhol. “Mulheres pensem nos seus filhos também porque a situação de discussões e agressões no lar seja física ou psicológica prejudicam os futuros relacionamentos desses jovens que veem seus pais me conflito e consequentemente sofrerão as consequências com referencias negativas na edificação de seus futuros lares”, afirmou a atriz.

Cris Lopes apoia mais uma mostra de cinema, agora no Brasil: o 3º Festival Curta Canedo, que será realizado de 20 a 22 de setembro 2018, no município de Senador Canedo, em Goiás, incluindo produções brasileiras e filmes latinos convidados para uma exibição paralela.

Este festival será organizado pela produtora cultural Carmelita Gomes, organizadora e idealizadora do Curta Canedo, e co-produzido pelo cineasta Cleiner Micceno, c om parceiros importantes do cinema como Rosa BerardoItamar BorgesAline Willik Pires Pimentel, Weslle Fellippe de Araújo, o blog goiano Pipoca com Pequi.

Todas as exibições dos filmes são gratuitas e abertas ao público. Recentemente, o Festival Curta Canedo foi reconhecido como atração turística e cultural pelo Governo do Estado de Goiás.

A atriz brasileira comentou sobre o respeito de seu pai para com a sua mãe, e como na interpretação desse papel pode contribuir para um alerta às mulheres vítimas de violências em seus lares: “tive a felicidade de receber o convite da diretora e roteirista Natalia Grecco para dar vida a personagem Clara, uma mulher vítima de violência do marido. Nasci nos anos 70 e vi muito machismo desde a infância, e até mesmo com caso de agressão – qual pude perceber a distância, de esposas que eram agredidas por seus maridos. Os meus pais sempre viveram em harmonia e me ensinaram o equilíbrio e amor ao próximo. Meu pai sempre respeitou e admirou minha mãe, que batalhou com ele para dar a melhor educação à seus filhos. Com este exemplo posso contribuir e ouvir principalmente a comunidade para que possa humildemente orientar nossas mulheres e crianças para se valorizarem e identificarem quando um relacionamento não é positivo e pouco saudável”.

Cris Lopes já filmou longa-metragens na Inglaterra e na França. Atuou em inglês em “Freer” lançado Canadá e nos Estados Unidos, e em mais doze filmes no Brasil entre eles: “Meio-Irmão”, que estará em breve nos cinemas, vivendo uma delegada de polícia.  A artista teve diversas indicações a prêmios  de “Melhor Atriz”, como a protagonista do filme de “humor negro” AGS Agencia Geral de Suicídio, que foi exibido na Espanha, Uruguai, Argentina, e em breve estará na televisão brasileira.

Ela também fez uma participação especial no longa Bia 2.0, com estréia nacional prevista para setembro na Mostra Livre de Cinema na Competitiva Internacional de Longas, em 20 cidades do estado de São Paulo; atuou na Record TV (Hora do Faro Especial Dia das Mães); no seriado infanto-juvenil Vila Maluca, na Rede Tv, no papel de Xuxu, entre 2005 e 2006, sendo indicada a um prêmio no Chile. Cris Lopes também trabalhou no SBT e no canal Band 21.

 

Deixe uma resposta