/Jovem simula sequestro para extorquir mãe e pagar dívida de drogas

Jovem simula sequestro para extorquir mãe e pagar dívida de drogas

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil (PC) resultou em três prisões no bairro Feitosa, na noite dessa quarta-feira (8). Um dos detidos é suspeito de simular o próprio sequestro para extorquir a mãe, com a intenção de quitar dívidas com traficantes de drogas. 

Segundo informações da polícia, as equipes da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) foram acionadas pela delegada Bárbara Arraes, que estava de plantão na Central de Flagrantes II, no Complexo de Delegacias Especializadas (Code), em Mangabeiras, a fim de atender a uma ocorrência de Extorsão Mediante Sequestro em curso. 

Ao chegarem à Central, as equipes mantiveram contato com Deonice Rocha Calheiros, mãe da suposta vítima, João Felipe Calheiros Pacheco, de 27 anos, a qual relatou que seu filho estava em cárcere privado por sequestradores e só seria liberado com vida mediante o pagamento de R$ 2 mil. 

Diante do fato, os agentes da Deic esperaram os autores receberem o valor da mãe de João Felipe e deram voz de prisão aos suspeitos. Foram presos Igor Ewerton Soares da Silva e Ivaldo da Silva, ambos de 25 anos, os quais cobraram a quantia para que João Felipe fosse liberado. 

A prisão ocorreu nas imediações de um motel, próximo ao terminal rodoviário, no Feitosa. Os criminosos haviam chegado em um veículo Fiat Uno, de cor prata e placa não informada, juntamente com a suposta vítima. Para surpresa dos investigadores, os três homens confessaram que o plano era extorquir Deonice Rocha, ideia que teria partido do seu próprio filho, João Felipe. 

O dinheiro seria utilizado para pagar uma dívida com Igor Ewerton e Ivaldo da Silva, que seriam traficantes da região. No carro utilizado pelos suspeitos, os policiais encontraram, no porta-luvas, três tabletes de maconha pesando aproximadamente 3 kg. João Felipe foi autuado por extorsão e associação criminosa, enquanto Igor Ewerton e Ivaldo da Silva foram autuados por extorsão, associação criminosa e tráfico ilícito de entorpecentes.

A operação contou com o envolvimento de equipes da GRE/Deic, coordenadas pelos delegados Fábio Costa e Thiago Prado. 

Gazetaweb