/Jornalistas fazem protesto contra a redução de 40% do valor do piso salarial proposto pelas empresas

Jornalistas fazem protesto contra a redução de 40% do valor do piso salarial proposto pelas empresas

Jornalistas de Arapiraca, da Região do Agreste e Maceió, fizeram na manhã desta terça-feira (25), uma manifestação na Praça Luiz Pereira Lima, antiga Praça da Prefeitura, Centro de Arapiraca, em protesto contra das empresas de comunicação de reduzir em 40% do valor do piso salarial.

A mobilização contou também com o apoio de representantes de sindicatos e coordenadores de Projetos Sociais, além da população em geral.

Os profissionais alagoanos decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, a partir desta terça-feira (25). A decisão foi tomada na noite dessa segunda-feira (24), após assembleia da categoria que aconteceu no auditório do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea/AL), no bairro do Farol, em Maceió.

A assembleia contou com representantes do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas (Sindjornal), da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), profissionais e estudantes de jornalismo. Eles são contra a redução do piso salarial em 40% solicitada pelas empresas de jornalismo do Estado.

O piso do jornalista em Alagoas atualmente é de R$ 3.565,27 e de acordo com a proposta apresentada pelas empresas, seria reduzido para cerca de R$ 2.100.

Mobilizações

No primeiro dia de greve da categoria, nesta terça-feira (25), acontece na portaria da Organização Arnon de Mello (OAM) a campanha “Meu Sangue Pelo Jornalismo”, que visa incentivar a doação de sangue por parte dos comunicadores e de outras categorias que abraçam a causa desses profissionais.

Para os interessados em doar sangue e salvar vidas, a Hemovan estará em frente à OAM, a partir das 9h, para fazer o transporte dos doadores até a sede do Hemoal, no Trapiche da Barra. Após o ato voluntário de solidariedade, o doador será trazido de volta ao ponto de partida. Lembrando que, quem doa sangue, fica liberado das atividades laborais.

Com a ação, os comunicadores conseguem cumprir com um dos primórdios da profissão, que é dar voz a quem mais precisa. Mesmo de braços cruzados, os jornalistas permanecem engajados e cumprindo o papel de cidadãos comprometidos com a sociedade, sempre conscientes de que o papel desses profissionais é cooperar de maneira justa e incisiva para o bom desenvolvimento da engrenagem social.

“A ideia de levar o Hemoal para o nosso movimento foi para colaborar com a campanha permanente de doação de sangue. Nossa doação de sangue vai representar a própria dedicação diária do jornalista à sua atividade. É fundamental a participação de todos”, pontuou o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas, Izaías Barbosa.

Os jornalistas querem um reajuste de 5.07% de reposição inflacionária dividido em 05 parcelas, estabilidade dos empregos por um ano de todos os profissionais com contratos vigentes, manutenção do piso salarial e para a contratação de novos  profissionais.

Redação