/Ascom – Seris – Ressocialização firma convênio para oportunizar emprego a jovens aprendizes

Ascom – Seris – Ressocialização firma convênio para oportunizar emprego a jovens aprendizes

Contribuir com a formação integral de menores e jovens aprendizes em situação de vulnerabilidade social. Foi com este objetivo que a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) firmou convênio, na tarde desta segunda-feira (25), com o Serviço de Promoção e Bem Estar Comunitário (Soprobem). Inicialmente, a Organização Não-Governamental (ONG) vai designar quatro menores e dois jovens aprendizes para exercerem atividades na secretaria responsável por gerir o sistema prisional alagoano, conciliando o horário de trabalho com o período de estudos.

Segundo a vice-presidente do Soprobem, Ana Maria Soares, os jovens beneficiados têm entre 14 e 21 anos de idade. E antes de iniciarem as atividades, todos terão de passar por um período de avaliação, sendo acompanhados por profissionais como psicólogo e assistente social, responsáveis também por monitorar o dia a dia de cada jovem aprendiz no ambiente de trabalho. O contrato, por sua vez, tem duração de dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois.

“A intenção é ceder esses jovens à secretaria em maio próximo. Isso porque, neste mês de abril, nós do Soprobem ficaremos responsáveis pela parte teórica da preparação dos meninos e meninas com vistas ao mercado de trabalho”, explica a representante do Soprobem, destacando o fato de todos serem beneficiários do Bolsa Família, programa do Governo Federal destinado a famílias de baixa renda.

Ainda de acordo com Ana Maria Soares, os jovens também precisam assinar um termo de responsabilidade e, com ele, assumir o compromisso de atender uma série de normas.

“O objetivo é evitar a ociosidade, já que todos devem estudar ou ter concluído o ensino médio. No caso específico da Secretaria de Ressocialização, os jovens também terão a chance de se familiarizar com um universo desconhecido. Portanto, este tipo de convênio é fundamental para a sociedade como um todo porque fomenta a questão da responsabilidade social, proporcionando a inserção deste jovem no mercado de trabalho, e sempre com o devido acompanhamento por parte da família”, emenda a vice-presidente do Soprobem, acrescentando o fato de muitos dos jovens assistidos assumirem posição de destaque, nas iniciativas pública e privada, já ao término do contrato.

Assessora de Governança da Seris, a agente penitenciária Fabiana Santos destaca a satisfação em poder abrir portas àqueles que nunca tiveram oportunidade de emprego. “Será muito importante principalmente no que diz respeito à responsabilidade social da secretaria, já que todos eles ainda não são profissionais. Vamos prepará-los por dois anos. Por isso é que estamos capacitando nossa equipe, para que todos abracem esta missão e possam contribuir com a formação moral e profissional desses jovens, que, em breve, vão se juntar aos nossos reeducandos e estagiários”, conta a assessora.

Já para o titular de Ressocialização e Inclusão Social, coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, acolher os menores e jovens assistidos pelo Soprobem é mais uma gratificante missão que a secretaria passa a assumir. “Tenho muito orgulho em poder dar oportunidade a este grupo de jovens em situação de vulnerabilidade e que, portanto, necessitam de orientação. Teremos o máximo de cuidado na formação de todos eles, de modo que vamos cobrar dos gestores empenho nesse sentido”, garante o secretário.

Assessoria