/Acolhimento de dependentes químicos pelo Estado é destaque em congresso na Europa

Acolhimento de dependentes químicos pelo Estado é destaque em congresso na Europa

O serviço de acolhimento a mulheres dependentes de drogas promovido pela Rede Acolhe, programa da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), foi destaque na Cimeira de Direitos Humanos das Mulheres, do XXIII Congresso da Federação Internacional de Mulheres Juristas, na última semana, em Lisboa, Portugal.

O evento, que teve como palco a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, debateu e analisou os Direitos Humanos das Mulheres sob uma perspectiva jurídica feminista e fez propostas e recomendações para a sua defesa e promoção.

A conselheira Internacional das Mulheres de Carreira Jurídica pelo Brasil, a alagoana Josefa Amorim de Barros, foi selecionada como uma das palestrantes dentre as mulheres dos 83 países presentes no evento. O tema “Rede Acolhe e a Violência contra a Mulher” foi escolhido devido à importância do programa desenvolvido pelo Governo de Alagoas, cujo trabalho se tornou referência em acolhimento para dependentes químicos em todo o país.

Segundo a conselheira Josefa Amorim, o tema despertou a atenção de especialistas em direitos humanos das mulheres de outros países. “Fui procurada por várias pessoas que ficaram interessadas em conhecer de perto a Rede Acolhe. A violência à qual a mulher é exposta relacionada à dependência química tem sido um dos grandes desafios da contemporaneidade e Alagoas desponta com um trabalho sério que traz resultados surpreendentes”, explica Josefa Amorim.

De acordo com a titular da Seprev, Esvalda Bittencourt, o estudo da jurista serve para mostrar a força da Rede Acolhe. “O fortalecimento desse trabalho é importante para o combate da violência e a compreensão desse fenômeno social que engloba uma multiplicidade de fatores complexos”, enfatizou a secretária.

 

O tema da palestra foi tão aclamado pelo público que a jurista Josefa Amorim foi reeleita, durante o congresso, ao cargo de conselheira da Federação Internacional de Mulheres de Carreira Jurídica pelo Brasil, ao lado de Laudelina Inácio da Silva (presidente nacional), do Mato Grosso do Sul, e de Luciana Vieira Branco, de Goiás. A palestra foi apresentada também no V Encontro de Mulheres Juristas dos Países Lusófonos.

Agência Alagoas